MOMIX regressa ao Casino Lisboa

MOMIX - Bloom

O grupo norte-americano Momix voltou a Lisboa, com “Opus Cactus”, pouco mais de um ano depois de ter trazido a Portugal um espectáculo fascinante em que o movimento dos corpos competia com sofisticados efeitos luminosos - "Sun Flower Moon".
Seguindo um mesmo tipo de “fórmula”, que Moses Pandleton (o seu director e criador) herdou dos tempos com o grupo Pilobolus, o novo trabalho busca inspiração nas "criaturas vivas" (fauna e flora) do deserto e conta com a colaboração de muitos artistas, incluindo bailarinos do Ballet do Arizona.
“Opus Cactus”, constituído por uma suite de quase duas dezenas de pequenas danças, insere-se numa linha de teatro visual em que pontuam sonoridades e imagens que convergem num clima algo relaxante. Desta vez propõe-se uma viagem pelas areias do deserto com a ajuda de adereços que os bailarinos manipulam e utilizam como uma extensão dos próprios corpos.
O grupo, constituído por cinco homens e outras tantas muheres, apresenta até alguns momentos em que as bailarinas utilizam sapatilhas de pontas, um artifício pouco comum em companhias contemporâneas, mas que mostra que a imaginação tem cada vez menos limites e que a contaminação é palavra de ordem na dança do século XXI.  

Apesar de uma meia dúzia de números que se destacam pela sua invenção - um deles recorre mesmo ao fogo - este trabalho reúne uma série de ideias já usadas (designadamente uma armação metálica que os artistas balançam e rodopiam)  denunciando uma quebra na fantasia e visível défice no conteúdo.  
 

MOMIX - Teardrop1