BL - alter 09


Tem início em 21 de Maio a terceira edição do festival  de artes performativas Alkantara.
Em Lisboa, no São Luiz Teatro Municipal, e pela primeira vez no Porto, no Teatro Nacional São João, bem como noutros espaços lisboetas desenrola-se uma programação muito eclética com uma duração de três semanas gizada pelo belga Thomas Walgrave. Este cenógrafo/desenhador de luzes, formado em História da Arte e Antropologia, substituiu Mark Deputter (outro belga cuja formação é em Filosofia), por este ter sido nomeado pelo actual presidente da Câmara Municipal de  Lisboa, António Costa, director do Teatro Maria Matos.

Cerca de um terço das 32 propostas artísticas muldisciplinares são estreias mundiais, sendo a grande maioria de origem estrangeira.

Stefan Kaegi, do colectivo Rimini Protokoll, em Lisboa, e Vera Mantero & Guests no Porto abrem esta temporada.
Em "Radio Muezzin", espectáculo que marca o regresso de Stefan Kaegi (Rimini Protokoll) ao Alkantara, dois anos após “Chácara Paraíso” em 2008, quatro muezins do Cairo entram em palco para nos contar as suas histórias e experiências: o professor de Alcorão, o filho de um agricultor e antigo condutor de tanques do Alto Egipto, um electricista que começou a decorar o Alcorão depois de um acidente grave e um culturista vencedor do segundo lugar num campeonato de recitação do Alcorão. A eles ainda se junta um técnico de rádio. Entre palavras e imagens de vídeo, descrevem-nos a transformação do chamamento para a oração.

Podem ser vistos no São Luiz Teatro Municipal nos dias 21 e 22 de Maio, às 21h00 e a fechar a temporada no Porto, nos dias 26 e 27 de Maio, no Teatro Carlos Alberto, às 21h30.

No Porto, a abertura do festival acontece com “Vamos Sentir a Falta de Tudo Aquilo Que Não Precisamos”.
Um ano depois da sua estreia em Essen e Montpellier,  Vera Mantero & Guests apresentam este trabalho em Portugal, co-produzido pelo Alkantara e pela Culturgest. Uma performance criada, após meses de leituras, visionamentos, escutas, reflexões e conversas, por Christophe Ives, Marcela Levi, Miguel Pereira, Rita Natálio, Nadia Lauro e Andrea Parkins. "Vamos Sentir a Falta..." é um jogo de associações, por vezes explicito, outras críptico, lúdico ou desconfortável, tangível ou volátil, que despoleta várias questões, mas quase nenhuma resposta.

Será apresentado no Teatro Nacional de São João, nos dias 21 e 22 de Maio, às 21h30 e a fechar o alkantara festival, em Lisboa, de 7 a 9 de Junho, às 21h30, na Culturgest.

Os espectáculos de abertura do alkantara festival 2010, "Radio Muezzin" e “Vamos Sentir a Falta de Tudo Aquilo Que Não Precisamos” dão início a uma maratona de três semanas de espectáculos em 19 locais de apresentação, 106 sessões com uma média de 5 espectáculos por dia, protagonizadas por 370 artistas em 20 dias de festival.

Sobre a programação do Alkantara Festival 2010, Thomas Walgrave, afirmou: os artistas mostram mais do que nunca o seu fascínio pelo real. Numerosos projectos inclinam-se fortemente para uma abordagem documental, dando voz a pessoas que se representam a si mesmas, no palco ou no ecrã: muezins do Cairo, uma família Chinesa na Europa, idosos de um bairro histórico de Lisboa, empregadas domésticas Indonésias, fotógrafos de uma aldeia na fronteira do Congo-Ruanda, o director de um circo Russo. Porém, por mais explícito que seja o contexto político destes espectáculos, a tónica é sempre a interrogação em vez da exclamação.


Mais informações em www.alkantarafestival.pt